Notícias

O Governo propõe-se comprar o que deu antes de mão beijada (a gestão do CINM) e que permitiu ao grupo Pestana arrecadar mais de 50 milhões ao longo dos anos sem ter investido nada que justifique tamanhos lucros. É de um privilégio que se trata.

O governo Regional que repudia a nova taxa da TAP, mas não repudia o quadro legal que dá à TAP total liberdade para criar taxas, subir os preços e abusar dos madeirenses - a liberalização das ligações aéreas.

A VIII Convenção Regional do Bloco de Esquerda Madeira terá lugar a 7 de março, segundo deliberação da Comissão Coordenadora Regional do passado sábado. 

O programa de Governo é mais do mesmo, não melhora as fracas perspectivas de futuro que leva tantos jovens a emigrar. O Governo vai continuar a satisfazer os apetites da sua clientela e a condenar a maioria dos madeirenses à pobreza.

A forte polarização marcou as eleições regionais de 22 de setembro. Fora do parlamento, o Bloco vai continuar a batalhar na defesa intransigente dos serviços públicos de saúde e de educação e pela dignidade e humanidade de todas e todos.

A descida do IRC serve de pouco aos pequenos comerciantes, quem beneficia são as grandes empresas, o sector financeiro e as que vivem das concessões do Estado ou que resultam das privatizações.

Um cenário de forte polarização entre PS e PSD tornou mais difícil ao Bloco Madeira passar a sua mensagem. O balanço das eleições regionais feito pela Mesa Nacional do Bloco de Esquerda.

Enquanto, neste país, não se conseguir combater a violência doméstica o BE insta a que se defendam os direitos próprios das crianças vítimas e/ou testemunhas de violência doméstica.

A 6 de Outubro, o voto no Bloco de Esquerda é o garante de respeito por quem trabalha e faz a economia deste País. Pelos trabalhadores de hoje e pelo futuro laboral das novas gerações.

A 6 de outubro é importante ir votar e votar no Bloco de Esquerda que está sempre ao lado dos mais desprotegido para forçar um maior equilíbrio social, defendemos os mais frágeis sempre e não só nas eleições.

O Bloco defende maior orçamento para a saúde, para melhorar a resposta do serviço público, separação clara com o privado, valorização dos profissionais - um serviço público universal, geral, gratuito e de qualidade.

O Bloco defende o fim das propinas, maior investimento no Ensino Superior, em residencias universitárias e maior estabilidade dos orçamentos das Instituições e das vidas dos funcionarios, docentes e investigadores. 

Os mais velhos não podem ser tratados como um peso para a sociedade foram eles que fizeram a nossa história e são a faixa etária mais desrespeitara pelo governo Regional.

Há uma teia densa montada pelo PSD entre o Governo e os grandes grupos privados que controla tudo e impede qualquer iniciativa estranha a esses interesses de ter êxito, seja a iniciativa empresarial, cultural, desportiva ou outra. Tal como os eucaliptos o PSD-M seca tudo em volta.

Bloco é o único partido que aponta os problemas fundamentais e indica a mudança necessária para a Madeira. O PS fala em mudar, mas não apresenta uma única proposta concreta que corrija as injustiças escandalosas criadas pelo PSD. O CDS esse é o partido dos senhorios e está pronto a dar a mão ao PSD para ficar tudo na mesma.

Egídio Fernandes, candidato do BE á Assembleia Legislativa da RAM, disse hoje que a região está na "retaguarda" no que diz respeito à igualdade de género, indicando como exemplo a Lei Eleitoral para a Madeira. 

Há que defender a pesca sustentável, o ambiente, a segurança alimentar e o rendimento dos pescadores contra os perigos da piscicultura intensiva, que gera lucros para os investidores mas não para as comunidades locais, envenena o mar e destroi rendimento dos pescadores.

Depois de ter enterrado a Autonomia na dívida oculta, Jardim vem, qual morto-vivo, clamar contra a ameaça externa de Lisboa. O inimigo está cá dentro e foi ele quem o criou e alimentou, ele mesmo é o rosto do inimigo que importa derrotar em setembro!

A reflorestação deve ser uma prioridade e contemplar a plantação de espécies endógenas nas áreas ardidas e o combate às espécies invasoras. A reflorestação é fundamental para aumentar a resistência aos fogos florestais, melhorar a estabilidade dos solos, a segurança nas vias rodoviárias e das habitações no sopé das escarpas, para a captação de água e proteger a biodiversidade.

O transporte público gratuito é a melhor resposta ao desafio da mobilidade e à emergência ambiental e da transição energética.

Páginas