O programa de Governo é mais do mesmo, não melhora as fracas perspectivas de futuro que leva tantos jovens a emigrar. O Governo vai continuar a satisfazer os apetites da sua clientela e a condenar a maioria dos madeirenses à pobreza.

A forte polarização marcou as eleições regionais de 22 de setembro. Fora do parlamento, o Bloco vai continuar a batalhar na defesa intransigente dos serviços públicos de saúde e de educação e pela dignidade e humanidade de todas e todos.

A descida do IRC serve de pouco aos pequenos comerciantes, quem beneficia são as grandes empresas, o sector financeiro e as que vivem das concessões do Estado ou que resultam das privatizações.

Um cenário de forte polarização entre PS e PSD tornou mais difícil ao Bloco Madeira passar a sua mensagem. O balanço das eleições regionais feito pela Mesa Nacional do Bloco de Esquerda.

Enquanto, neste país, não se conseguir combater a violência doméstica o BE insta a que se defendam os direitos próprios das crianças vítimas e/ou testemunhas de violência doméstica.

A 6 de Outubro, o voto no Bloco de Esquerda é o garante de respeito por quem trabalha e faz a economia deste País. Pelos trabalhadores de hoje e pelo futuro laboral das novas gerações.

A 6 de outubro é importante ir votar e votar no Bloco de Esquerda que está sempre ao lado dos mais desprotegido para forçar um maior equilíbrio social, defendemos os mais frágeis sempre e não só nas eleições.

Opinião

Guida Vieira
Guida Vieira

O direito de viver em paz

As oportunidades perdidas e a vida adiada doem muito. Não tenhamos dúvidas, doem mesmo

Paulino Ascenção
Paulino Ascenção

Mais do mesmo

O Bloco ficou muito aquém dos objetivos nas regionais, não resistiu à polarização, ao apelo do voto útil. A Madeira vai ter mais do mesmo: um Governo subserviente aos privados, maiores desigualdades, mais pobreza, falta de perspectivas de futuro, desemprego e emigração.

Paulino Ascenção
Paulino Ascenção

A coligação da desilusão

O CDS acusou o PSD de ser uma desilusão e apresentou-se às eleições como a “mudança segura” que merecia ser governo. Afinal não há mudança, o CDS só queria o tacho, entranhou-se na desilusão. 

Paulo Sousa

Falta mão-de-obra na Hotelaria?

“Falta mão-de-obra na Hotelaria”,
Esta frase é das mais reproduzidas na imprensa associada ao sector e não só; será verdade? Para os empresários do sector, esta é a realidade que tentam passar para o exterior; A meu ver, NÃO, e com todas as letras maiúsculas.