Opinião

Em 2019, uma auditoria do Tribunal de Contas, ao período compreendido entre 2013 e 2015, detectou a prescrição de diversos processos da execução fiscal que lesaram os cofres do Estado em 3,9 milhões de euros. Ficámos a saber que tal se deveu a uma série de falhas ou incúria nos procedimentos, bem como que a dívida para com a Segurança Social atingia, no final de 2015, os 266 milhões de euros. 

O programa de Governo é mais do mesmo, não melhora as fracas perspectivas de futuro que leva tantos jovens a emigrar. O Governo vai continuar a satisfazer os apetites da sua clientela e a condenar a maioria dos madeirenses à pobreza.

A forte polarização marcou as eleições regionais de 22 de setembro. Fora do parlamento, o Bloco vai continuar a batalhar na defesa intransigente dos serviços públicos de saúde e de educação e pela dignidade e humanidade de todas e todos.

A descida do IRC serve de pouco aos pequenos comerciantes, quem beneficia são as grandes empresas, o sector financeiro e as que vivem das concessões do Estado ou que resultam das privatizações.

Um cenário de forte polarização entre PS e PSD tornou mais difícil ao Bloco Madeira passar a sua mensagem. O balanço das eleições regionais feito pela Mesa Nacional do Bloco de Esquerda.

Páginas